Participa nas Assembleias de Freguesia da Charneca de Caparica !

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Manifestação de protesto em Lisboa junta mais de 300.000 pessoas!

Mais de 300 mil pessoas manifestaram-se no passado sábado, dia 29 de Maio em Lisboa. 
O Bloco claro que também esteve presente!


Palavras de ordem tais como:

  •  "Deixem passar, deixem passar. Eu estou na rua para o PEC derrubar!" 
  • "Anticapitalistas. Há. Aqui"
  • "Ai NÃO! à exploração, à exploração, à exploração"
e muitas outras, foram de grande interacção com os participantes que ladeavam a Avenida da Liberdade.


Para Louçã, o Governo “beneficia e premeia a especulação, prejudica os desempregados” e “por isso é tão importante que a CGTP tenha organizado esta manifestação, para as pessoas dizerem de sua justiça” e protestarem contra a aliança “Passos Coelho - Sócrates” que são “irresponsáveis”.

http://www.esquerda.net/artigo/manif-junta-mais-de-300-mil-em-lisboa

terça-feira, 11 de maio de 2010

Aumento de Impostos é Inaceitável - Bloco Propõe Alternativas ao Aumento de Impostos

É inaceitável a subtracção ou redução do subsídio de Natal! O Governo não pode actuar sempre sobre a redução dos rendimentos do trabalho! Já não chega a forma como tem sempre beneficiado os infractores, os corruptos e corruptores e as grandes fortunas?!

Fica, em baixo, um artigo de opinião do Esquerda.Net.

O Bloco de Esquerda promove, amanhã, quarta-feira, dia 12 de Maio, um comício no Porto e outro, em Lisboa, no próximo dia 27 de Maio, ou seja, de quinta-feira a oito dias.

É importante participarem!

JOÃO

Bloco propõe alternativas ao aumento de impostos
10-Mai-2010
Na apresentação do novo cartaz e jornal gratuito, Francisco Louçã respondeu à ameaça de aumento de impostos formulada por Teixeira dos Santos e à "embaixada de peso" que reuniu em Belém "os pais do défice". "Não aceitaremos que se toque num cêntimo dos salários de quem vive com dificuldades num país que dá facilidades e bónus a quem nunca fez sacrifícios", afirmou Louçã em resposta às afirmações de Teixeira dos Santos à saída do Ecofin, em que ameaçou aumentar o IVA e reter parte do 14º mês.
"Exigimos que quem não paga impostos os pague agora, como a lei impõe. São estes que devem fazer sacrifícos, os que estiveram sempre do lado das facilidades e benefícios", acrescentou Louçã, referindo-se aos salários e bónus dos gestores das empresas do PSI-20. Louçã anunciou ainda duas iniciativas públicas do Bloco, um comício no Porto na próxima quarta-feira e em Lisboa no dia 27 de Maio, com a presença dum deputado da coligação grega Syriza.
A proposta alternativa do Bloco para diminuir o défice significa um pacote financeiro de 2 mil milhões, "taxando o IRC da banca a 25%, a taxa que a lei impõe, tributando as operações com off-shores e taxando excepcionalmente os bónus com um imposto até 75%, como existe noutros países", disse o coordenador da Comissão Política bloquista.
Sobre a reunião dos antigos ministros das finanças com Cavaco Silva, Louçã diz que foi "uma embaixada de peso que representa uma aliança interpartidária PS/PSD, incluindo um ex-líder da Associação Portuguesa de Bancos".
"O anfitrião e os convidados estiveram 28 anos à frente do governo ou do ministério das finanças. São eles os pais do défice, os pais do endividamento e de todos os problemas estruturais da nossa economia", prosseguiu Louçã.
Questionado pelos jornalistas sobre hipótese dum novo bloco central, Louçã afirmou que actualmente "parece ser o PSD a governar por interposta pessoa do eng. Sócrates. São as propostas do PSD, que tiveram escasso apoio popular nas urnas, que estão agora a ser aplicadas", concluíu Louçã, referindo-se aos cortes no investimento público e ao ataque às prestações sociais e aos desempregados.

Cultra - Pensadores do Socialismo - Stathis Kouvélakis fala de Lénine, Hoje, às 21 horas, na Lx-Factory

No âmbito do ciclo de conferências sobre fundadores importantes do movimento socialista revolucionário internacional, o seu pensamento e acção neste processo, hoje, 11 de Maio, Stathis Kouvélakis fala de Lénine, pelas 21 horas, na Lx-Factory.
JOÃO
Clica 2 vezes sobre a imagem para a aumentares!


Local: Livraria Ler Devagar- Lx. Factory, Rua Rodrigues Faria, 103, Lisboa, sempre às 21h

Restantes conferências:

18/Maio – Trotsky, por Francisco Louçã
25/Maio – Rosa Luxemburgo, por Michael Löwy
01/Junho – A. Gramsci, por Chris Bambery
08/Junho – Mao Tsé-Tung, por Fernando Rosas

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Maria João Baptista da Silva enviou-lhe a seguinte Petição: "Almada Sem (E)CALMA"


Caros Amigos,
Acabei de ler e assinar esta petição on-line:

"Almada Sem (E)CALMA"

http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1562

Eu pessoalmente concordo comesta petição e acho que também podes concordar.

Subscreve a petição "Almada Sem (E)CALMA" aqui:
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1562
e divulga-a pelos teus contactos.

Obrigada
Maria João Baptista da Silva
Esta mensagem foi-lhe enviada por Maria João Baptista da Silva, através do
http://peticaopublica.com/
Em relação à Petição:
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1562

Noites de Primavera no Solar dos Zagallos - Sábados pelas 18 horas

Eu sou uma apaixonada pela Sobreda, especialmente pelo Solar dos Zagallos.
Por isso, gostava de deixar aqui uma iniciativa de eventos de Música e de Dança, que começa amanhã e que vai até dia 29 de Maio, uma vez por semana.
São 4 Sábados de óptimos espectáculos com excelente música.
A entrada é livre.
JOÃO

Música e Dança
8 a 29 de Maio 2010
Horário
A partir das 18h
Local
Solar dos Zagallos, Sobreda

Localizar no ALMADA|SEMPRE PERTO

Durante os sábados do mês de Maio, o Solar dos Zagallos convida-o a conhecer os saraus românticos para noites de Primavera. Aceite o convite e deixe-se embalar nas melodias de Mozart, Chopin, Beethoven e Mendelsohn.
-------------------------------------------------------------------
O Solar dos Zagallos, na Sobreda, convida-o a participar nos saraus românticos para noites de Primavera. Nos amenos fins de tarde dos sábados de Maio, a música e o bel canto passeiam-se pelo Solar até ao suave cair da noite.

Na antiga cozinha, um chá, um doce e um momento de conversa encerram tranquilamente o dia. São propostas românticas para dias e noites primaveris, tirando partido da magia do Solar, do seu jardim e dos seus salões, num ambiente único.

Obras de Mozart, Chopin, Mendelsohn, Beethoven, vão ecoar nos vários espaços desta casa apalaçada do século XVIII, adquirida e recuperada pela autarquia, que alberga agora várias iniciativas culturais.

Para todos os concertos, a entrada é livre.

8 de Maio, Sábado
Obras de Mozart, Bozza e Weber
Arlindo Santos, Fagote e Anna Tomasik, Piano

15 de Maio, Sábado
Repertório romântico
Alunos da Academia Amadora de Música de Lisboa
Alunos do Musicentro Escola salesiana de Lisboa

22 de Maio, Sábado
Comemorações do bicentenário do nascimento de Chopin
Grupo Movimento Musical

29 de Maio, Sábado
1º Andamento do Trío Archiduque, de Ludwig Van Beethoven
Trio em Ré menor de Felix Mendelsohn
Alunos da classe de Música de Câmara do Conservatório Nacional
Silvia Martins : Violino
Barbara Costa : Piano
Pedro Silva : Violoncelo
-------------------------------------------------------------------
Organização: Câmara Municipal de Almada
Condições de participação: Entrada livre
Informações: Solar dos Zagallos
Lg. António José Piano Júnior
2815 - 761 Sobreda
Tel.: 21 294 70 00
Fax: 21 299 70 09
sítio: www.m-almada.pt/museus

Loja do Cidadão - Assembleia Municipal de Almada contra Chumbo de Localização

Têm havido imensos encontros e desencontros sobre a localização da instalação da prometida Loja do Cidadão de Almada.

Deixo-vos o recorte da notícia sobre este assunto, que veio no JR N.º 219, de 04 a 10 de Maio de 2010.

Nele podem ler a posição dos deputados do Bloco de Esquerda sobre o chumbo do Centro Comercial M Bica para a instalação da Loja do Cidadão nesse espaço.

JOÃO

Clica 2 vezes sobre a imagem para a aumentares!

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Deputado do PS furta gravadores de jornalistas (com vídeo e reacções)

Olá!
Maria João Baptista da Silva achou este vídeo interessante e decidiu recomendá-lo:
http://videos.sapo.pt/2ftpmLnJ52Iv6jCiGZhH
Clique no link acima para ver o vídeo ou copie a linha com o endereço para o seu browser.
Filme! Partilhe! Veja!
Sapo Vídeos

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Manuel Alegre Apresentou a sua Candidatura Presidencial - Candidato apoiado pelo BE

Manuel Alegre, o candidato presidencial apoiado pelo Bloco de Esquerda, já apresentou a sua candidatura. E fê-lo com um discurso muito bem elaborado, essencialmente virado para o estado social e para os jovens e as novas gerações, que eu segui em directo, às 20h de ontem, na RTP N.
JOÃO
Alegre lança-se à Presidência para defender o Estado social
04-Mai-2010
Manuel Alegre apresentou esta terça-feira nos Açores a sua candidatura presidencial com um discurso marcado pela defesa do Estado social, pela resposta ao ataque especulativo "contra o nosso país e contra o euro" e pela procura de um diálogo com as novas gerações, "marcadas pela precariedade das condições de trabalho", mas capazes de "renovar a política para mudar Portugal".
Alegre apresentou a sua candidatura em Ponta Delgada, no salão nobre do Teatro Micaelense completamente cheio. Diante da situação muito crítica com que Portugal está confrontado, Alegre defendeu que a hora é de "responsabilidade, de verdade e de solidariedade". E prosseguiu: "Hora, também, para, no quadro das dificuldades existentes, tudo fazer para preservar o Estado Social", defendendo a mobilização do país, que só compreenderá "o sentido das medidas e dos sacrifícios que lhe são pedidos" se houver uma grande exigência ética.
"Contra os predadores do mercado, a única resposta tem de ser a mobilização geral para uma estratégia de crescimento económico. Sem abdicar do papel do Estado, quer no investimento público susceptível de estimular a economia e o emprego, quer no combate às desigualdades salariais e na adopção de políticas de uma mais justa redistribuição de rendimentos", afirmou.
Defendendo que "mais do que nunca seria necessário promover um plano concertado entre Governo, partidos políticos e parceiros sociais", Manuel Alegre ressalvou: "não pode haver sacrifícios para quase todos e benefícios apenas para alguns."
Diante da "desorientação e a falta de capacidade da União Europeia para responder a uma crise desta natureza", o candidato observou que "é difícil compreender como é que a União Europeia foi capaz de reagir tão rapidamente para salvar o sistema bancário e agora hesita em acudir aos países mais vulneráveis que estão a ser alvo de ataques especulativos dentro da própria Europa."
Numa referência às propostas de revisão constitucional, Alegre afirmou que "a Constituição nunca foi nem é um obstáculo à governação de Portugal", para fazer uma defesa vibrante da Escola Pública, do Serviço Nacional de Saúde, do Sistema Público de Segurança Social, da transparência da vida pública, da Justiça que reassuma o seu papel de pilar essencial do funcionamento do estado de Direito, deixando claro que "não serei neutro, como nunca fui, na defesa dos valores e princípios consagrados na Constituição da República".
Finalmente, o candidato dirigiu-se às novas gerações: "O motivo por que esta candidatura vale a pena não tem somente a ver com o que vou fazer como Presidente, mas sobretudo com o que as novas gerações podem fazer para renovar a política e para mudar Portugal." E questionou: "como vamos ultrapassar a precariedade das vossas condições de trabalho? Como vão as novas gerações construir uma sociedade onde o trabalho digno seja um direito de todos, fonte de realização pessoal, contributo para o bem da comunidade, exercício de responsabilidade profissional?"
E concluiu com um apelo "para que as novas gerações façam ouvir a sua voz, para que se reencontrem com as suas causas, para que mostrem o que pretendem construir e não privem o país do seu contributo decisivo." E prosseguiu: "A nossa aposta é o vosso futuro, o vosso emprego, o vosso primeiro emprego, a vossa realização, o vosso bem estar. E por isso vos digo: assumam o vosso destino, ousem romper e propor, ousem combater pelos vossos direitos e pelo vosso lugar no vosso país."
Manuel Alegre iniciou a sua declaração explicando o motivo de se lançar nos Açores, "ilhas de liberdade", e evocando o açoreano Antero de Quental, "um dos fundadores do primeiro socialismo português."
E saudou todos os socialistas e democratas açorianos, "na pessoa de Carlos César, grande referência dos Açores, do PS e da República". Saudou também os representantes presentes do Movimento de Intervenção e Cidadania, do Bloco de Esquerda, da Renovação Comunista e do Partido Democrático do Atlântico, e ainda "nas pessoas do presidente Almeida Santos e do secretário-geral José Sócrates, saúdo o meu partido, o Partido Socialista", estendendo a saudação "a todas as forças de esquerda, todos os democratas, de todos os quadrantes, que desejam um Presidente que seja uma alternativa, não de governo, mas de atitude, de pensamento, de uma outra visão de Portugal e do mundo."

segunda-feira, 3 de maio de 2010

BE/Almada - Noticias: BE denuncia falsas acusações do 'Público'

A edição de 22 de Abril do Público titula, na capa, que as “Câmaras de Famalicão e Salvaterra de Magos restringem a compra de casas sociais a cidadãos nacionais”.

Junto se envia, a Nota enviada à Comunicação Social, a este propósito, pelo Bloco de Esquerda.

A Coord BE-Almada
======================================

NOTA DE IMPRENSA DO BLOCO DE ESQUERDA

De acordo com a informação veiculada pela comunicação social, o Governo, através do secretário de Estado da Administração Local, declarou hoje que vai ser alterado o Decreto-Lei de 1976 que impede o acesso de imigrantes à aquisição de habitação social.

Esta decisão vem na sequência da denúncia feita no passado dia 13 de Abril pelo deputado Pedro Soares (BE), em sede de Comissão Parlamentar do Poder Local, ao secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, tendo na altura exigido o acesso dos imigrantes à atribuição de fogos de habitação a custos controlados, em pé de igualdade com restantes cidadãos nacionais, por parte dos municípios.

Para o Bloco de Esquerda, a limitação dos candidatos à sua condição de cidadãos nacionais configura um acto inqualificável de discriminação que viola os princípios consagrados na Constituição da República Portuguesa, nomeadamente nos seus artigos 13.º, 15.º e 65.º, bem como da Declaração Universal dos Direitos Humanos e outros tratados internacionais.

Ao contrário do que foi transmitido por alguma comunicação social, em que acusava a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos de se guiar pelos mesmos critérios discriminatórios que foram recentemente aprovados em Famalicão, o Bloco de Esquerda esclarece que não vigora nenhum regulamento discriminatório deste tipo e que já em 17 de Fevereiro de 2010, em reunião da Câmara Municipal, um novo regulamento para acesso a habitação social foi apresentado utilizando critérios de igualdade, sem qualquer artigo discriminatório de cidadãos não nacionais, em conformidade com os princípios constitucionais.

O Bloco de Esquerda considera que a intenção manifestada pelo Governo de alteração do referido D-L constitui, desde já, uma consequência positiva da intervenção do Bloco sobre esta questão, determinante para o fim da discriminação dos imigrantes em Portugal, e espera que esta alteração à lei seja feita o mais breve possível.
---------------------------------------------------
Bloco de Esquerda (Almada)
site: http://almada.bloco.org/
e-mail: almadabloco@gmail.com
Trav. D. Sancho I, 1-A - 2800-046 Almada
T: 212752351